Prosa de uma esteticista - com Nathalie Souza

Acne: O que você precisa saber!

Nathalie Souza
Acne: O que você precisa saber!

A acne é uma afecção inflamatória cutânea crônica, isso significa que a acne é uma alteração patológica do corpo e por possuir um desenvolvimento lento, prolongado e necessita de cuidados constantes é classificada como crônica.

É uma doença considerada genético-hormonal e não contagiosa. A predisposição a produzir muita oleosidade constitui um caráter genético para muitos pesquisadores, por conta disso essa atribuição para acne e hormonal por seu surgimento estar diretamente ligado a estímulos hormonais. Apesar da acne ser uma doença multifatorial e possuir vários aspectos que contribuem para seu surgimento esses são os mais apontados.

Essa disfunção atinge o folículo pilossebáceo, por isso é denominada autolimitada, está restrita aos lugares de prevalência da unidade pilossebácea.

Para entender melhor sobre a acne precisamos então conhecer sobre o folículo piloso e a glândula sebácea, dessa forma depois poderemos entender como e onde ocorre o processo da acne.

O folículo piloso é formado por uma invaginação da epiderme, ainda na vida embrionária, são projeções de queratinócitos modificados, chamados tricócitos, que adentra a derme, formando o folículo piloso, local onde origina o nossos pelos.  São várias as funções do folículo piloso, entre elas podemos destacar: sensorial, homeostasia (equilíbrio) térmica, proteção UV e reparação tecidual, já que ela funciona como um reservatório de células tronco.

As glândulas sebáceas, por sua vez, existem em quase todo nosso corpo, exceto na palma das mãos e na planta dos pés. Seu funcionamento é regulado por hormônios e ela tem a função de produzir sebo. O sebo é importante para nosso corpo, participa da lubrificação da parte externa da pele e constitui o manto hidrolipídico.

A acne, como foi dito anteriormente acomete o folículo pilossebáceo, que nada mais é que a união do folículo piloso e a glândula sebácea, formando o que chamamos de unidade pilossebácea. Uma característica importante desses folículos é que eles possuem pelos finos e curtos e as glândulas sebáceas são maiores, quando comparado com outros folículos do corpo.

 

 

- Epidemiologia: 

É uma das doenças de pele mais frequentes, afetando aproximadamente 85%dos jovens, acometendo cerca de 60% das mulheres e 70% dos homens. Chamada de doença dos adolescentes, antigamente acreditava-se que regredia espontaneamente após os 20 anos de idade.

Porém é muito comum aparecer no início da puberdade, mas pode surgir aos 25 anos, chamada acne adulta. Os quadros mais graves são nos homens e possui incidência menor em asiáticos e africanos. Incomparavelmente mais usual nos caucasianos do que amarelos e negros. Em países como Coreia, Peru, Equador, Espanha, esquimós a incidência é baixa (2,8% a 5,9).

É mais precoce nas mulheres podendo surgir por volta dos 12 a 14 anos, do que nos homens que costuma manifestar aos 14 a 16 anos.

As formas mais intensas se apresentam nos homens, porém nas mulheres são mais persistentes, o que é explicado pela alta frequência de distúrbios endócrinos, sobretudo a síndrome do ovário policístico.

Acredita-se que há uma tendência hereditária na determinação da doença, uma vez que o tipo de glândula sebácea, a alteração da queratinização do folículo e a atividade da glândula são determinados geneticamente.

Locais prediletos: face, pescoço, tronco, região proximal do braço e nádegas. Colo, costas entre outras regiões do corpo.

 

 

 

 

- Etiopatogenia:

Os 4 fatores que estão associados a formação da lesão acneica, são:

1- Hiperplasia das glândulas sebáceas:

A hipersecreção de sebo inicia-se, principalmente por influência hormonal. O processo de hiperandrogenismo ocorre mais no nível das glândulas sebáceas, graças a ação de algumas enzimas como a 5 alfa redutase, tipo 1 e a 3 alfa e a 17 alfa hidroxiesteroide desidrogenase que convertem a testosterona em di-hidrotestosterona, que é 5x mais potente. Um detalhe importante é que os níveis de andrógenos circulantes podem estar nos níveis considerados normais e a hiper estimulação ocorrer por uma sensibilidade das glândulas sebáceas, seja por possuir mais receptores ou por ter níveis mais elevados da enzima 5 alfa redutase. A hiperseberréia, caracterizada pelo fluxo de sebo abundante, contribui para a dilatação do canal pilossebáceo e favorece o surgimento de uma queixa muito comum na estética que são os óstios dilatados.

 

2- Hiperqueratinização:

Com o excesso de sebo associado as células mortas que são eliminadas da epiderme do folículo, ocorrem uma hiperqueratinização e obstrução do canal folicular.

 

3- Proliferação de bactérias:

As bactérias, em especial a P. Acnes, são habitantes naturais da superfície da pele e do folículo pilossebáceo, por se alimentar de sebo o ambiente fica propício para seu desenvolvimento. Com a retenção de sebo, há multiplicação de microorganismos anaeróbio.

 

4- Inflamação:

O último fator é a inflamação, a lipase bacteriana converte lipídeos em ácidos graxos e produz mediadores pró-inflamatórios (interleucina 1, fator de necrose tumoral) que induzem reações inflamatórias.  Com a proliferação da P. acnes e hidrolise dos triglicerídeos do sebo, ocorre liberação de ácido graxo que são irritantes para a parede folicular e indutores de sua queratinização. Um outro fator que pode favorecer a inflamação é que a pressão do sebo pode romper o epitélio folicular, esse rompimento pode contribuir para processo inflamatório. Na porção superficial do folículo, habitam o Staphylococcus Epidermis e outros micricocos, produtores de lipases que pioram o quadro inflamatório.

 

 

 

 

- Manifestação Clínica:

A manifestação das lesões acneicas podem durar semanas a meses, frequentemente é agravada no outono ou inverno. O quadro clínico é considerado polimorfo, por apresentar-se de diversas formas: Comedões abertos e fechados; pápulas e pústulas; nódulos e cistos.

Os comedões, pápulas, pústulas e lesões nodulocística podem surgir durante a evolução da acne e dependendo da intensidade, o processo inflamatório leva a abscessos e cistos intercomunicantes, com frequente êxito cicatricial.

 

- Classificação:

A acne é classificada como:

Acne não inflamatória - quando apresenta somente comedões.

Acne inflamatória- quando já tem a presença de pápula e pústulas.

A presença dos comedões se dá pelo aumento da produção de sebo e obstrução do canal folicular.

Já a acne inflamatória ocorre por conta do aumento de material graxo, sebo, que promove uma alteração de pH e favorece a proliferação de bactérias como a Propionibacterium acnes. Essas bactérias promovem a lipase o que gera irritação no canal folicular e consequentemente inflamação.

 

- Graus da acne:

Grau 1: [Não inflamatória] Acne comedogênica – Presença de comedões abertos e/ou fechados.

Grau 2: [Inflamatória] Acne papulopustulosa – Presença de comedões abertos e/ou fechados, pápula e pústulas.

Grau 3: [Inflamatória] Acne nódulo cística - Presença de comedões abertos e/ou fechados, pápula e pústulas e nódulos inflamatórios.

Grau 4: [Inflamatória] Conglobata - Presença de comedões abertos e/ou fechados, pápula e pústulas, nódulos, cistos e cicatrizes queloideanas.

É uma acne cística grave com maior envolvimento do tronco do que do rosto. Apresentam nódulos coalescentes, cistos, abscessos e úlcera. Ocorre também nas nádegas. A remissão espontânea é rara. Raramente com genótipo XYY ou síndrome do ovário policístico.

Grau 5: [Inflamatória] Fulminans – Associada subitamente à febre, necrose e hemorragia das lesões.

Mais comum em adolescentes masculinos. Instalação aguda de acne cística grave com supuração e ulceração; mal-estar geral, fadiga, febre, artralgia generalizada, leucocitose, elevação da velocidade de hemossedimentação (VHS).

 

 

- Tratando a acne inflamada:

Na acne inflamatória, como o próprio nome diz, já tem um processo inflamatório instalado.

Na lesão pustulosa teremos como característica uma pequena elevação da pele contendo material purulento -pus – é uma secreção de cor amarelada ou amarelo esverdeada produzida em consequência de um processo bacteriano extracelular e ele é constituído por glóbulos brancos. A presença do pus significa que houve uma resposta do organismo perante uma ameaça.

Já a pápula que é uma lesão elementar, ela é caracterizada por uma pequena elevação sólida e limitada a pele, sem fluido visível e com o tamanho de até 10mm e pode ser causada por um processo inflamatório que é o caso da acne papulosa.

O processo inflamatório da acne papulosa surge nas camadas mais internas da pele e não pode ser manipulada, não realizamos extração nessa acne, porque pode gerar cicatrizes e não há o que extrair.

Essas acnes têm uma maior probabilidade de provocar hipercromia na pele, porque ela está mais próxima dos melanócitos e pode acabar estimulando ele e as citocinas liberadas podem estimular a melanogênese.

 

Os tratamentos estéticos indicados para a acne inflamatória são:

Peelings químicos, nesse caso utilizem principalmente o ácido salicílico.

Temos também a geoterapia que é recomendada para desintoxicação da pele e pelas propriedades antiinflamatórias, secativas e bactericidas da argila. É indicado utilizar principalmente a argila verde com seu efeito secativo e a vermelha que atuará no processo inflamatório.

O Laser, o LED e a Luz intensa pulsada têm propriedades antiinflamatórias, bactericida.

O alta frequência que também tem propriedade bactericida.

A drenagem linfática para principalmente no processo de desintoxicação da pele.

 

Os ativos recomendados para tratar acnes inflamatórias são: ácido salicílico, Asebiol, bardana, sulfato de zinco, enxofre, Gluconolactona de zinco, peróxido de benzoíla, ácido glicólico, azuleno, calêndula, Melaleuca, lavanda, hortelã, própolis, menta, nicotinamida, alfa bisabolol, copaíba, alantoína, altheia, aloe vera.

O cuidado principal que precisamos ter é não lesionar ainda mais essa pele, então não faça nada agressivo. Não faça esfoliação física, mecânica, nada de extração, sem máscara térmica, o vapor pode até usar porque ele tem ozônio. Use ativos antiinflamatórios, bactericida, secativos, calmantes.

O foco do tratamento é esse!!!!

 

- Fatores que favorecem ao surgimento da acne:

O principal fator é hormonal, então qualquer coisa que interfira na produção de androgênios, tanto pelas glândulas suprarrenais como pelos ovários, tem potencial para afetar a pele propensa à acne.

Mas pode ocorrer, também, da pessoa não apresentar níveis incomuns de androgênio, ao realizar exame de sangue, por exemplo. Nesses casos, pode acontecer da pele reagir de forma exagerada aos androgênios normais que estão ali. Ou então, talvez haja receptores de androgênio demasiadamente reativos na pele, nesse caso quando pouca testosterona atinge o folículo, os receptores super estimulados vão pegar mais androgênios que dão conta. Ou ainda, o problema pode estar na enzima que transforma a testosterona a 5 alfa redutase, pesquisadores suspeitam que as mulheres com acne ativa têm mais níveis dessa enzima que as outras que não possuem acne ativa e resistente.

Causas que podem estimular aumento de hormônio: Menstruação, tomar ou parar de tomar pílula anticoncepcional, tratamento de reposição hormonal, suplementos dietéticos, gravidez, amamentação, menopausa, perimenopausa, síndrome do ovário policístico, resistência a insulina, tumores nos ovários ou suprarrenais, desordens suprarrenais,

Alimentos que influa na produção de androgênios: ostras, abacate, fígado, semente de girassol, carboidratos de cadeia curta (açúcar e farinha branca), consumo elevado de leite e outros produtos lácteos...

Substâncias: Óleos minerais, dioxina, lítio, hidantoína, isoniazida, glicocorticoides, contraceptivos orais, iodetos, brometos e androgênios (testosterona, danazol), produtos para a pele e maquiagem comedogênicos

Emocional: Estresse estimula pode estimular as supra renais, aumentando a produção de androgênios.

Obstrução e pressão: Apoiar o rosto na mão, uso de boné, máscara...


 

- Tipos de Acne e formas especiais:

Acne neonatal ou infantil: Localizada no nariz e nas bochechas de neonatos ou lactentes, é relacionada ao desenvolvimento glandular. Caracteriza-se por pápulas e comedões e, raramente, papulopustulosa, surgindo na face na infância. No neonato, pode ser devido a androgênios maternais e, no lactante e na infância, por andrógenos das gônadas ou suprarrenais.

Acne escoriada: Na literatura francesa, era denominada acne excoriée des jeunes-filles, observada quase exclusivamente em mulheres jovens e caracterizada por escoriações e cicatrizes na face extensas por um transtorno obsessivo-compulsivo. Há presença de comedões e pápulas que a doente traumatiza constantemente. É um quadro fundamentalmente neurótico ou psicótico, com escoriações e cicatrizes.

Acne mecânica: São exacerbações de acne em bochechas, queixo ou fronte causadas por apoiar o rosto nas mãos ou pela pressão causada pelo uso do capacete no futebol americano, por exemplo.

Acne por fricção: Ocorrem devido ao contato com faixas, carneiras de chapéus ou capacetes. As lesões são pápulas ou papulopustulosa por oclusão folicular, ação irritativa e infecção secundária. Forma frequente é observada no pescoço de quem toca violino. O tratamento é a exclusão da causa e proteção.

Acne tropical: Acne com presença de foliculite grave, apresenta nódulos inflamatórios, cistos com supuração no tronco e nas nádegas em países tropicais; Relatos mostram uma infecção secundária por Staphylococcus aureus.

Acne estival: Caracteriza-se pela presença de acne papulopustulosa, com poucos comedões e atinge face, dorso, ombros e pescoço. Apresenta prurido discreto ou moderado. O aparecimento dessa acne de verão pode ser devido ao edema do orifício folicular pela sudorese excessiva, com inflamação subsequente. Entretanto, o uso de cremes ou pomadas fotoprotetoras é talvez o fator mais importante na gênese do quadro.

Acne ocupacional: Ocorrem em trabalhadores por contactantes ocupacionais. Não é restrita a regiões de predileção, podendo surgir em outras áreas (cobertas) do corpo, como braços, pernas e nádegas. Causada por exposição aos derivados do alcatrão, óleo de corte, hidrocarbonetos clorados.

A acne clórica ou Cloroacne ocorre em virtude do contato com compostos orgânicos clorados e acomete trabalhadores da indústria química que os manipulam e absorvem-nos via percutânea ou pulmonar. As substâncias podem ocasionar alterações hematológicas, neurológicas, hepáticas e metabólicas e, eventualmente, morte.

A acne dos pesticidas é observada em trabalhadores agrícolas que manipulam esses produtos clorados orgânicos, usados como defensivos (fungicidas, inseticidas, herbicidas) em agricultura. O quadro é similar ao da cloracne, podendo também causar sintomas gerais por absorção. Os agrotóxicos mais empregados são: pentaclorofenol (PCP); pentaclorofenato de sódio; pentacloronitrobenzeno (PCNB); clorotalonil; e ácido triclorofenoxiacético, que contém dioxina, droga com potente ação acnegênica. Em formas com comprometimento sistêmico precisam de tratamento especializado e frequentemente hospitalização.

No grupo das acnes ocupacionais, a mais frequente é a acne dos óleos e graxas (elaioconiose) causada pelo contato com essas substâncias, diagnosticada em trabalhadores que manuseiam óleos ou graxas minerais. O quadro é sugestivo com pontos negros nos óstios foliculares, visíveis principalmente nos dedos das mãos, nos antebraços e nas coxas. Com a oclusão dos óstios foliculares, surgem pápulas e nódulos inflamatórios. A acne por asbestos é encontrada em trabalhadores da indústria desses minerais.

No tratamento, o primeiro cuidado é a prevenção do contato, evitando o uso de roupas impregnadas e a esterilização do óleo, quando este é reaproveitado, já que é veículo da infecção bacteriana.

Acne cosmética: Acne induzida mais frequente, ocorre quase exclusivamente em mulheres na pós-adolescência, na terceira ou quarta década, pelo uso de cosméticos comedogênicos. Numerosas substâncias usadas em cosméticos são comedogênicas. O uso excessivo de sabões, sabonetes ou sabonetes com drogas, como o hexaclorofeno, pode produzir o quadro que se caracteriza por comedões e pápulas, eventualmente raras pústulas, na face, em mulheres que tiveram acne ou têm seborreia e que usam cremes faciais. No tratamento, a primeira conduta é a exclusão desses cosméticos, esclarecendo sua inutilidade em peles seborreicas.

Acne por medicamentos tópicos: O uso de pomadas e cremes medicamentosos, principalmente em áreas seborreicas, pode induzir a formação de comedões e pápulas, cuja origem pode ser de veículos como vaselina ou lanolina ou medicamentos, principalmente corticoides

Acne por pomada: Ocasionada pelo veículo do produto, fica localizada na região frontal da cabeça, geralmente em afrodescendentes que aplicam pomada no cabelo.

 

 

- Tratamento Home Care: 

Pesquisas mostram que aproximadamente 80% das pessoas que possuem acne não procuram um profissional, acabam indo à farmácia e comprando por conta própria. Esses produtos podem até amenizar as erupções, mas o uso indevido e exagerado pode também agravar o problema.

Dentro de uma farmácia, por exemplo, você encontra infinitas possibilidades de higienizantes, tônicos, loções, mascaras e a maioria das pessoas acabam pegando tudo, usando tudo... O que pode acarretar em piora do quadro e mais gasto financeiro.

Os 2 ativos mais usados e comuns para o tratamento da acne de venda livre são: Ácido salicílico e peroxido de benzoíla.

 

Peróxido de Benzoíla:

O peróxido de benzoíla é um agente bactericida com grande capacidade de destruir a P. Acnes. Pesquisadores relatam que o peróxido de benzoíla revolucionou o tratamento contra a acne.

Ele atua sobre a acne liberando oxigênio para as áreas sem ar dos folículos sebáceos, a fim de matar a bactéria P. acnes, que não suporta oxigênio. A benzoíla leva o peróxido até o folículo, o peróxido libera o oxigênio, que destrói a bactéria.

O peroxido age com rapidez, suprimindo a P. acnes mais depressa que muitos antibióticos de venda controlada. E ao contrário dos antibióticos, o peróxido não perde a eficácia, já que não causa resistência nas bactérias. Deve ser aplicado em todo o rosto, diariamente.

As concentrações de 2,5 a 5% promovem menos irritação a pele. Consulte um profissional para te orientar ao uso correto.

 

Ácido Salicílico:

Já o ácido salicílico é um esfoliante, antiinflamatório, antisséptico, controla oleosidade.

 

 

 

O mais interessante desses dois ativos é que eles são solúveis em lipídio, ou seja, misturam-se a oleosidade, por isso conseguem permear os folículos e atuar a acne na raiz.

Cuidado com exagero nos produtos usados em casa, produtos muito agressivos deixam a pele mais predisposta a uma inflamação, por isso mais fácil as lesões inflamatórias da acne podem surgir.

Então hidrate, tonifique, mas observe a pele, para saber se ao invés de usar um tônico adstringente não é melhor um tônico calmante ou hidratante, por exemplo.

 

 

- Tratamento estético consultório:

O tratamento da acne vai depender do grau da acne do seu cliente, porém o princípio básico é atuar nos pilares da formação da acne: Controlar produção de sebo; desobstruir o canal folicular; evitar proliferação de bactérias e controlar inflamação.

Para acne não inflamatória, temos como opção de tratamento:

--> Limpeza de pele, argiloterapia, alta frequência, LEDterapia, desincruste, Óleos essenciais, controle de oleosidade...

Mas nesse caso o foco será a desobstrução do folículo, com a eliminação de sebo e células mortas, realizado durante a limpeza de pele.

Para acne inflamada:

--> Peeling químico, alta frequência, Fototerapia (LED, Luz Intensa pulsada, laser), óleos essenciais, drenagem linfática, crioterapia... Foco desses tratamentos é conter a inflamação, proliferação de bactérias e produção excessiva de sebo.

Então todos os recursos que acalmarem a pele, favorecerem a destruição dos microorganismos e controlarem a produção de sebo, podem ser associadas.

 

 

 - Tratamentos médicos:

O tratamento pode ser realizado de forma tópica, oral ou ambos. A escolha do médico é determinada pela gravidade e localização da acne. 

Os principais recursos médicos para tratamento da acne, são: Retinóides tópicos, peróxido de benzoíla, antimicrobianos tópicos, ácido azeláico, antibióticos orais, isotretinoína oral e antiandrógenos orais. 

Para acne não inflamatória os produtos mais utilizados são: ácido salicílico, peróxido de benzoíla, retinoides (tretinoína, adapaleno), antibióticos (clindamicina e eritromicina, de preferência associados - no mesmo produto - aos retinoides ou peróxido de benzoíla) e ácido azeláico.

Em quadros inflamatórios, ou quando o tratamento tópico não evolui como o profissional gostaria, o tratamento por via oral é associado.

Um dos recursos é o uso de antibióticos específicos como: tetraciclina, doxiciclina, minociclina, limeciclina, ou macrolídios (eritromicina), ou sulfas (sulfametoxazol-trimetoprim). Muitas vezes associado ao tratamento local com retinoides ou peróxido de benzoíla ou ácido azeláico. Importante frisar que o tratamento com antibiótico oral deve ser feito por, no máximo, três meses, em um ou até três ciclos.

Pode-se realizar tratamento hormonal também, com uso de anticoncepcionais orais.

Em casos mais graves, sem uma boa resposta aos tratamentos anteriores e quando o paciente tem uma tendência a cicatrizes ou um impacto negativo na qualidade de vida, a isotretinoína oral é sugerida, desde que o paciente não tenha contraindicações.

Como é um tratamento muito utilizado precisamos conhecer um pouco mais sobre esse medicamento.

 

Isotretinoína: 

É um retinóides derivado da vitamina A, seu principal mecanismo de ação ocorre nas glândulas sebáceas, reduzindo seu tamanho, atividade e quantidade de sebo em até 75%.

Tem vários efeitos colaterais, separei os ligados a estética: Fragilidade cutânea, prurido, ressecamento, aumento de triglicérides, alopecia reversível, reações alérgicas, hipersensibilidade sistêmica, exantema (erupção avermelhada), piora da acne, dermatite facial, distrofia ungueal, hirsutismo, granuloma piogênico (proliferação vascular), paroníquia (dor latejante, vermelhidão, calor e inchaço da pele ao redor da unha), sudorese, hiperpigmentação, fotossensibilidade, aumento na formação de tecido de granulação (compromete o processo de cicatrização).

São necessários exames de sangue antes e durante o tratamento. Além de ser obrigatório afastar gravidez com um teste, aguardar a menstruação para iniciar o tratamento e se assegurar sobre o uso de métodos anticoncepcionais, iniciado um mês antes, mantido durante todo o tratamento e por um período de um mês após a suspensão da droga.

 

Retinóides tópicos:

Os retinóides tópicos agem na queratinização anormal e também são anti-inflamatórios, por isso funcionam tanto com a acne comedônica como com a inflamatória.


Antimicrobianos tópicos (antibióticos tópicos):

Ajudam a matar as bactérias da pele que podem infectar folículos pilosos obstruídos. Deve ser sempre combinado com o peróxido de benzoíla para prevenir o desenvolvimento de bactérias resistentes.

 

Ácido Azeláico:
Muitas vezes usado como um tratamento alternativo para remover as células mortas da pele e matar as bactérias. É normalmente receitado se o paciente apresentar efeitos colaterais ao peróxido de benzoíla ou retinóides tópicos.

 

Outros procedimentos complementares: Drenagem de abscessos, infiltração com corticoides em lesões nodulares muito inflamadas ou em cicatrizes elevadas, peelings químicos, microdermabrasão, alguns tipos de laser, luzes e esfoliações químicas. 

 

- Acne que causa acne:

Muitas pessoas que possuem acne resistente notam um comportamento interessante, véspera de algum evento importante, após alguma briga, perda eis que a acne "aparece". Apesar de muitos relatos, os estudos científicos para entender todo o comportamento sobre a mente e a acne ainda não foram feitos.

A conexão ente a acne e o estresse, aparentemente está nos efeitos do estresse sobre o complexo funcionamento endócrino. Quando o corpo é submetido a uma tensão emocional ou física (cansaço, falta de sono, dietas radicais, bebida, fumo...) a produção das glândulas suprarrenais se acelera, liberando os hormônios do estresse, cortisol e adrenalina. Os hormônios então em níveis mais elevados podem apresentar consequências na pele.

No caso da acne, o estresse e esses hormônios, podem provocar o surgimento da acne de duas maneiras:

A longo prazo – Associado aos hormônios cortisol e adrenalina, surgem outros hormônios suprarrenais, entre eles os androgênios, que estimulam a produção da glândula sebácea. Portanto, o estresse crônico pode agravar a acne.

Efeito a curto prazo- Os níveis aumentados de cortisol (que provoca irritação, inflamação e coceira na pele) e de outras substâncias químicas inflamatórias podem agravar as espinhas existentes e/ou estimular uma forte reação inflamatória nos folículos.

O fato de ter acne é estressante, abala a auto estima o que diminui a imunidade e coloca a pessoa em um estado de estresse continuo o que acaba agravando ainda mais o problema.

 

O que fazer para melhorar o estresse e a acne?

1- Exercício:

Faça alguma atividade física que proporcione sensações de prazer, de relaxamento, que seja agradável. O exercício físico diminui os níveis de estresse.

 

2- Meditação, yoga, massagem relaxante, óleos essenciais:

São recursos que acalmam e diminuem o estresse.

 

3- Faça terapia:

Ajuda a lidarmos com nossos sentimentos, entende-los, acolhe-los e quando nos livramos do sentimento de vergonha, culpa, fracasso... acabamos aliviando o estresse também.

 

4- Trate com uma equipe multidisciplinar (e se for o paciente- Procure ajuda profissional):

Profissionais da área da estética, médicos -dermatologista, endocrinologista, ginecologista-, psicólogo, nutricionista...

 

 

- Erupções Acneiformes: 

Muitas pessoas quando se deparam com um quadro de pápula, pústula, já acham que é acne, mas a verdade é que pode não ser. Por isso o diagnóstico correto é fundamental.

A formação dessas lesões (pápula, pústula...) tem causas diferentes e por esse motivo o tratamento também é.

No estudo da pele, tem o que se chama de lesões elementares... Primárias, secundárias... E algumas doenças de pele tendem a se manifestar com essas lesões.

Muitas disfunções são caracterizadas pela presença da pápula e da pústula, porém como estamos acostumados a ver essas lesões em pessoas com acne, logo fazemos essa associação. Mas isso é um erro, já que os tratamentos são bem diferentes.

Normalmente a acne está associada a presença de comedões e outras doenças não, esse é uma das formas de diagnosticar a disfunção. Então atente-se a esse fator!

Outro ponto é determinar a origem da lesão, na acne essas lesões são originadas pela produção excessiva de sebo e proliferação de bacterias (P.acnes). 

Doenças que se apresentam com erupções acneiformes e podem confundir seu diagnóstico: Rosácea, foliculite.

 

 

Nathalie Souza

-> Para mim é super importante saber o que achou do conteúdo, por isso peço para dizer abaixo o que achou, se o conteúdo foi útil e em caso de dúvidas, coloca aí nos comentários, terei o maior prazer em te ajudar!

 

Assine o Mundo Nath Souza - Programa de aperfeiçoamento em estética: https://www.prosacomnathsouza.com.br/mundonathsouza/ 

Outros produtos e assinaturas mensais:
• Acervo de Protocolos estéticos: http://bit.ly/AINSprotocoloCombo  
• Acervo de Formulações cosméticas: http://bit.ly/AINSformulacaocombo 

 

- Materiais Gratuitos:

• E-book- Técnicas de Extração Na Limpeza De Pele: http://bit.ly/ebookLPnathsouza   

• Apostila- Acne: https://bit.ly/ApostilaAcne 

• Curso (Com certificado) - https://bit.ly/CursoAcneGratuito 

• Link para Certificado do curso: http://bit.ly/MinicursoAcne  

 

Estética Estudo

Deixe seu comentário