Prosa de uma esteticista - com Nathalie Souza

Clareamento de axila e virilha

Nathalie Souza
Clareamento de axila e virilha

    Hipercromia ou hiperpigmentação é o excesso da produção de melanina, tornando a pele tons acima da tonalidade natural da pele. 

    Os melanócitos apresentam natureza recorrente e recidivante, possui memória celular. Por conta disso os tratamentos requerem manutenção periódica e não podemos falar em cura e sim em controle. São células sensíveis a estímulos inflamatórios.

    A hiperpigmentação axilar e da virilha tem sido atribuída a uma hipercromia pós inflamatória.

Possíveis causas:

1-      Alterações hormonais;

2-      Inflamação - Foliculite e Dermatite;

3-      Desodorante aerossóis;

 - Podem gerar dermatites, processo inflamatório.

- Muito alcoólicos:Resseca a região

4-      Atrito- Roupas muito apertadas, lâminas.

Segundo James, o alongamento e contração axilar, o atrito de roupas sobre a pele, a secagem da axila são fatores que podem gerar a hiperpigmentação. No estudo de James e colaboradores, eles realizaram o estudo para determinar a etiologia da hiperpigmentação, selecionou 20 mulheres com idade entre 18 e 50 anos, analisaram pedaços da pele extraídos da região, e a analise histológica deste estudo indicou escurecimento por inflamação.

 

Tratamento focar em:

    Os protocolos podem ser aplicados somente com ativos ou cosméticos com associação de eletroterapia.

1-      Inibir as etapas da melanogênese;

a.       Despigmentantes

b.       Ex.: Idebenona, ácido kójico, belides, alfa arbutin.

2-      Remoção dos corneócitos pigmentados;

a.       Peelings: químicos superficiais (alfa hidroxiácidos), peeling de diamante, cristal, físico, ultrassônico.

3-      Antioxidantes e antiinflamatórios;

a.       Evitar estresse oxidativo e inflamatórios.

b.       Ex: Vitamina C, ácido ferúlico.

4-      Proteger contra radiação;

a.       FPS – Sol é um dos maiores fatores gatilhos.

Dica: Argila branca – Repõe oligoelementos, possui biominerais que vão atuar no clareamento superficial e promove uma esfoliação mais suave.

Eletroterapias que podem ser associadas:

- Luz intensa pulsada

Pode tratar hipercromias superficiais com comprimento de 510nm a 530nm. Atua nos melanossomas.

Fotoepilação como prevenção e controle da hipercromia: 640 a 690nm.

- Remover corneócitos pigmentados:

Peeling diamante (não usar pressão e muitas passadas), peeling ultrassônico, peeling de cristal.

- Permeação de ativos:

Fonoforese, iontoforese, eletroporação.

- LED:

Azul e verde. Melanina é um cromóforo, por isso ela será o alvo dessa luz. E ele vai causar uma fotobiomodulação vai auxiliar no mecanismo, funcionamento celular.

- Alta frequência:

Coadjuvante, caso tenha foliculite.

 

Imagem retirada do google!
Estética Corporal

Deixe seu comentário