Prosa de uma esteticista - com Nathalie Souza

Criolipólise: O que acontece com a gordura?

Nathalie Souza
Criolipólise: O que acontece com a gordura?

A criolipólise é uma técnica não invasiva que utiliza baixas temperaturas afim de promover resfriamento gradual e progressivo do tecido subcutâneo sem danificar os tecidos adjacentes.

Tendo sua origem em eventos denominados paniculite do picolé e paniculite equestre, o que acontece no procedimento recebe o nome de paniculite adipocitária.

Esse procedimento visa o tratamento da disfunção estética denominada adiposidade localizada, que é o acumulo de gordura em uma região específica, sendo sua utilização para obesos contraindicada e para a gordura visceral também.

A criolipólise convencional, consiste em um aparelho provoca uma sucção do local selecionado e devidamente protegido, provocando um congelamento no tecido adiposo, que resultará em paniculite e reperfusão estimulando os adipócitos a sofrem uma apoptose - a célula recebe um sinal para se auto destruir, ocorrendo uma redução no seu tamanho, quebra da cromatina em pedaços e em seguida é fagocitada.

Ao sofrer resfriamento os adipócitos sofre uma perda da matriz extracelular, gerando desordem nas organelas e função celular. Iniciando assim o estado de deterioração apoptótica. 

Quando a célula chega no estágio irreversível de morte, a membrana plasmática cria fragmentos, os quais sofrem uma fragmentação originando os corpos apoptóticos - que são descritos na literatura como vesículas de gordura.

Esse material é visto como lixo ou um corpo estranho no nosso organismo, em resposta, esses corpos apoptóticos são destruídos pelas células de defesa do corpo, através da fagocitose - que é o nome dado ao processo o qual os protozoários realizam a sua alimentação, mas esse processo também é realizado pelos leucócitos, ao encontrar materiais estranhos no organismo, no tecido adiposo que é um tipo de tecido conjuntivo e é o foco da criolipólise, a fagocitose é feita pelos macrofágos

De forma geral, a fagocitose consiste no englobamento de partículas pela membrana celular, e trazida para dentro da célula, essas partículas ficam dentro de um vacúolo digestivo, que realizará a digestão da partícula utilizando os lisossomos, que é uma estrutura que apresenta enzimas digestivas.

Porém para entendermos para onde vai a gordura após o processo de criolipólise e fagocitose, precisaremos falar sobre a fisiologia do macrofágo.

O macrofágo tem a mesma origem embrionária e é constituinte do tecido adiposo, sendo responsável pela defesa do tecido adiposo, em casos extremos os macrofágos são até utilizados como reserva de gordura. Eles produzem e exportam a gordura, conseguindo devolver a gordura para os adipócitos.

A gordura dos adipócitos que sofreram apoptose pela criolipólise podem permancer nos macrofágos por até 2 meses.

Hoje autores falam que a gordura não sai do corpo após a criolipólise, em muitos estudos percebemos a perda de medida e não de peso e as vezes até aumento do peso, com diminuição de medida.

Portanto, para resultados satisfatórios a realização da atividade física e reeducação alimentar é imprescindível, caso contrário essa gordura acaba retornando para os adipócitos que restaram no local ou são direcionados para outras áreas do corpo. 

Segundo estudos feitos durante os procedimentos de criolipólise o colesterol, triglicerídeos e as funções hepáticas, dos pacientes, tiveram seus níveis inalterados.

Os ricos do procedimento envolvem dor, queimadura, necrose tecidual, fibrose, hiperplasia paradoxal adipocitária.

Aconselha-se sempre procurar um profissional capacitado, verificar a procedência dos equipamentos (registro na ANVISA).

 

Nathalie Souza


-> Para mim é super importante saber o que achou do conteúdo, por isso peço para dizer abaixo o que achou, se o conteúdo foi útil e em caso de dúvidas, coloca aí nos comentários, terei o maior prazer em te ajudar! 

Estética Corporal

Deixe seu comentário