Prosa de uma esteticista - com Nathalie Souza

Foliculite X Pseudofoliculite

Nathalie Souza
Foliculite X Pseudofoliculite

O folículo piloso são estruturas responsáveis por formar os pelos e estão localizados por todo o corpo, exceto palma das mãos e planta dos pés, lábios e nas membranas mucosas.

A foliculite é um processo inflamatório que pode ser classificado de duas formas: superficial ou profunda.

A principal causa da foliculite é devido à uma infecção causada pela bactéria Staphylococcus aureus. Além dela, outras bactérias, fungos e vírus podem estar envolvidos no aparecimento dessas lesões cutâneas.

Porém algumas situações podem favorecer seu desenvolvimento, gerando diferentes tipos de foliculite, incluindo a pseudofoliculite, como: lâminas de barbear, umidade, calor, roupas muito apertadas.

A foliculite não é contagiosa, a infecção ocorre dentro do folículo piloso, ficando restrita a quem está com a inflamação. Porém um fator importante é não espremer e nem furar a área atingida, uma vez que isso pode espalhar e agravar a infecção para a própria pessoa.

Na estética costumamos tratar a pseudofoliculite que é o nome científico para o pelo encravado que acontece simplesmente quando o pelo nasce e volta para o folículo, podendo gerar até um processo inflamatório. Os pelos mais grossos ocasionalmente podem curvar-se e penetrar na pele provocando irritação, porém não apresenta uma infecção importante.

As pseudofoliculites mais comuns:

- Pseudofoliculite da barba

Afecção mais comum em homens de pele negra ou mestiços, é decorrente de fator anatômico, especialmente nos negros e mestiços, serem do tipo ulotríquio, isto é, tendem a recurvar e como consequência pode gerar uma infeção.

As lesões fundamentais são pápulas ou pústulas situadas na região atingida e decorrem do encravamento de pelos na pele.

Como somente os pelos curtos encravam, torna-se clara a razão pela qual a afecção somente ocorre em indivíduos que se barbeiam regularmente.

- Pseudofoliculite da virilha

A região da virilha possui uma pele muito fina e sensível. Ao entrar em contato com a lâmina – no momento da depilação- ou roupas muito apertadas, tendem a surgir inflamações, isso porque os pelos não conseguem ultrapassar a derme, se curvando para dentro e penetrando novamente na pele.

Uma boa opção para reduzir essas inflamações é buscar métodos alternativos de depilação, como laser. Além disso esfoliar e hidratar a pele são práticas fáceis e que ajudam no processo de tratamento da foliculite.

Tratamento:

Não existe tratamento regularmente eficiente para esses casos. Medida eficaz seria o abandono do ato de se barbear ou se depilar e usar roupas mais folgadas.

Para o controle do quadro, usar sabonete antisséptico com Triclosan a 1%, principalmente antes e após a depilação.


Em consultório podemos realizar: Esfoliação (a depender do quadro e tipo de esfoliante); alta frequência; LED; argiloterapia; ativos calmantes, secativos, anti-inflamatórios, OE de melaleuca; e mais.  

Resultado definitivo se dá com a depilação, que, antes feita com eletrocoagulação ou eletrólise, atualmente é realizada a laser, com resultados excelentes.

 

Nathalie Souza

-> Para mim é super importante saber o que achou do conteúdo, por isso peço para dizer abaixo o que achou, se o conteúdo foi útil e em caso de dúvidas, coloca aí nos comentários, terei o maior prazer em te ajudar!

Estética Geral

Deixe seu comentário